O último parágrafo de On The Road, lido por Kerouac (o próprio)

O último parágrafo de On The Road, lido por Kerouac (o próprio)

Este post é apenas para compartilhar essa preciosidade que encontrei por aí: um áudio com Jack Kerouac lendo o último parágrafo do maravilhoso On The Road.

Discordem à vontade, mas, para mim, trata-se de um dos finais mais tristes da literatura (pelo menos entre os livros que li até hoje).

"Assim na América quando o sol se põe e eu sento no velho e arruinado cais do rio olhando os longos, longos céus acima de Nova Jersey e sinto toda aquela vastidão até a Costa Oeste, toda aquela estrada seguindo em frente, todas as pessoas sonhando naquela imensidão, e no Iowa eu sei que agora a estrela do entardecer deve estar morrendo e irradiando sua pálida cintilância sobre a pradaria antes da chegada da noite completa que abençoa a terra, escurece todos os rios, recobre os picos no oeste e oculta a derradeira e última praia e niguém, simplesmente niguém sabe o que vai acontecer a qualquer pessoa além dos desamparados andrajos da velhice, eu penso em Dean Moriarty, penso até no Velho Dean Moriarty o pai que jamais encontramos, e penso em Dean Moriarty, eu penso em Dean Moriarty"

Livros relacionados

Anjos da Desolação
On The Road
Os Beats
Cidade Pequena, Cidade Grande
E Os Hipopótamos Foram Cozidos em Seus Tanques

Posts relacionados

Frases e citações de Jack de Kerouac em Anjos da Desolação
A gente lê: a biografia Jack Kerouac King of The Beats, de Barry Miles
A gente lê: Cidade Pequena, Cidade Grande, o primeiro livro de Jack Kerouac
Turismo literário: os points de Kerouac e outros escritores beats em Nova York

Siga o Shereland

Comentários

Deixe um comentário

http://

Nenhum comentário. Seja o primeiro!