Infográfico mostra a idade com que os escritores escreveram suas obras mais famosas

Infográfico mostra a idade com que os escritores escreveram suas obras mais famosas

Você está perto dos 30? Xiiii, então é melhor se apressar... Segundo um infográfico creditado ao aplicativo Blinkbox Books (e que eu traduzi a seguir), a média de idade que alguns escritores da língua inglesa tinham quando escreveram suas obras-primas era de 29 anos e 8 meses. Eita!

Se você tem menos de 25, mãos a obra. Repare como os autores selecionados só sentaram para datilografar suas histórias depois dos vinte e tantos. A exceção é o muso Jack Kerouac - que começou a escrever logo que virou adulto (apesar de só ter conseguido publicar o primeiro livro aos 28).

O infográfico também permite reparar o que os escritores fizeram após a obra-prima. O incansável Stephen King chega a publicar vários livros por ano (quanto mais forte a coluninha vermelha da imagem, mais obras foram feitas naquela idade). Mas creio que o autor de O Iluminado é uma exceção (neste post falei sobre a prole descontrolada de King). Já o coitado do Fitzgerald, bom... sabemos o que lhe ocorreu. Após o estouro com O Grande Gatsby (um dos meus livros mais queridos, tem resenha), ele foi para esbórnia e bebia tanto que mal conseguia escrever. 

Mais sobre os escritores apresentados no infográfico (os critérios de escolha não foram explicitados):

Jack Kerouac - eu diria que foi o maior expoente da geração beat, um movimento da contracultura americana da década de 50.
Depois de levar muitos nãos, seu primeiro romance, Cidade Grande, Cidade Pequena, foi publicado em 1950. Apesar de gostar bastante do escritor, achei o romance de estreia bem cansativo. Sou muito mais sua grande obra, On The Road, livro escrito em poucas semanas, sem pausas, parágrafos e coisas do tipo. 

Douglas Adams -  o escritor e comediante inglês é um queridinho dos nerds pela série de cinco livros de ficção científica O Mochileiro das Galáxias. Particularmente, detestei cada uma dessas obras, mas, enfim...

F. S. Fitzgerald - ícone da geração perdida dos anos 1920 (junto com Hemingway, T. S. Eliot e todos aqueles personagens que aparecem no filme Meia Noite em Paris, de Woody Allen). O Grande Gatsby é um dos grandes clássicos mundiais porque conseguiu capturar o fim do Sonho Americano antes mesmo da quebra de 1929. Como eu disse, a vida do cara depois da fama não foi fácil e ele acabou tendo que escrever roteiros pra Hollywood para não morrer de fome.

Stella Gibbons - bom, não tenho a mínima ideia de quem seja essa escritora, mas olhei na Wikipédia e vi que ela era inglesa, viveu de 1902 a 1989 e sua mais famosa obra no Brasil foi Fazenda Maldita (tem lá no Estante Virtual).

Charles Dickens - escritor superclássico inglês do século XIX, autor de história famosérrimas no naipe de David Copperfield, Grandes Esperanças e Oliver Twist.

Stephen King - posso dizer que é o escritor vivo mais pop dos Estados Unidos? Ele é autor de várias obras que viraram filmes de terror (e que, por isso, jamais cheguei perto), como O Iluminado e Carrie, a Estranha.

Livros relacionados

Percy Jackson e o ladrão de raios
Grande Sertão: Veredas

Posts relacionados

Rotina dos escritores: a hora de acordar de 20 grandes literatos
#aletradaspessoas : compilamos dedicatórias feitas pelos maiores escritores brasileiros
Todo mundo foi bebê: fotos de alguns escritores quando jovens
Turismo literário: os points de Kerouac e outros escritores beats em Nova York
Descubra para quais times torcem/torciam os escritores

Siga o Shereland

Comentários

Deixe um comentário

http://

Nenhum comentário. Seja o primeiro!