A gente lê: Memória de Minhas Putas Tristes + frases de Gabriel García Márquez no livro

A gente lê: Memória de Minhas Putas Tristes + frases de Gabriel García Márquez no livro

Quando Memória de Minhas Putas Tristes foi publicado em 2005, já corria o boato de que a saúde mental de Gabriel García Márquez - então com 78 anos de idade - não estava lá essas coisas. Tanto é que os mais entendidos consideram esta uma obra menor na bibliografia do colombiano.

A trama é sobre um solteirão muy distinto que está prestes a completar noventa anos de idade e resolve passar a noite com uma adolescente virgem. Na hora H, o ancião acaba se apaixonando pela garota. Em suma, a obra fala sobre esperança, sobre o despertar a qualquer momento, com qualquer idade.

O livro é gostoso e simples - li em menos de 24 horas - e, apesar de não ser uma obra-prima, tem grandes frases, que, como sempre, separei para compartilhar com vocês:

"Também a moral é uma questão de tempo"

"Nessa época ouvi dizer que o primeiro sintoma da velhice é quando a gente começa a se parecer com o próprio pai."

"Maldição, pensei, como o rubor é desleal."

"Minha única explicação é que da mesma forma que os fatos reais são esquecidos, também alguns que nunca aconteceram podem estar na lembrança como se tivessem acontecido."

"Descobri, enfim, que o amor não é um estado de alma e sim um signo do zodíaco."

"a força invencível que impulsionou o mundo não foram os amores felizes e sim os contrariados."

"E me inquietou o fato de ela ser tão real a ponto de fazer aniversário."

 

Livros relacionados

Memórias de Minhas Putas Tristes
O Outono do Patriarca

Posts relacionados

A gente lê: Crônica de Uma Morte Anunciada
A gente lê: Doze Contos Peregrinos
A gente lê: Gabo - Memórias de Uma Vida Mágica (+ curiosidades sobre Cem Anos de Solidão)
Gaboteca: site finalmente organiza todas as obras escritas por ou sobre Gabriel García Márquez

Siga o Shereland

Comentários

Deixe um comentário

http://

Nenhum comentário. Seja o primeiro!