A gente lê: Um Coração Ardente

A gente lê: Um Coração Ardente

coracao-ardente.jpg

Trata-se de uma reunião de dez contos de Lygia Fagundes Telles escritos entre 1950 a 1980. Eles estavam espalhados por aí até que a Companhia das Letras - que vem reeditando lindamente a obra da autora - agrupou-os em Um Coração Ardente em 2012.

O livro é tão lindo que me empolguei e decidi fazer algo diferente de uma resenha. Resumo cada conto em uma frase e uma citação.

Um Coração Ardente
Um homem mais velho recorda o primeiro amor por uma prostituta.

"Eu não tinha talento nem para a literatura e nem para a filosofia, nenhuma vocação para aqueles ofícios que me fascinavam, essa é a verdade, tinha um coração ardente, eis aí, tinha apenas um coração ardente."
Dezembro No Bairro
Um grupo de crianças faz de tudo para montar um presépio bacana.
"Sabíamos que eles eram pobres, mas assim desse jeito?"
O Dedo
Caminhando numa praia, a narradora encontra um dedo com um anel de esmeraldas enterrado na areia e especula sobre como ele foi parar ali.
"Podia ser ainda uma suicida, dessas que entram de roupa pelo mar adentro, o desespero é impaciente, ela mal teve tempo de encher os bolsos com pedras."
Biruta
Um garotinho órfão tem um cachorrinho arteiro, mas a família rica para quem ele trabalha está querendo dar um fim no bichinho.
"Muito tempo ele ficou ali ajoelhado, segurando a bola. Depois apertou-a fortemente contra o coração."
Emanuel
Uma moça quarentona e virgem resolve inventar para os amigos que arrumou um namorado, mas ninguém acredita nela.
"'A esperança é curva assim como uma asa', disse alguém. Melhor me deitar na planície mas quando dou acordo de mim já estou subindo a montanha, resfolegando e subindo."
As Cartas
Uma antiga colega de infância da narradora morre e deixa as cartas que havia trocado com o amante.
"agora eram as cartas que contraindo-se com estalidos secos pareciam rir"
O Noivo
Um homem é acordado de manhã às pressas para se vestir para o próprio casamento, só que não sabe quem é a noiva.
"- Até que ponto me comprometi?, repetiu a si mesmo sacudindo a cabeça que já começava a doer."
A Estrela Branca
Um cego é convidado para ser cobaia numa operação inédita que pode lhe trazer a visão novamente.
"Ergui a face para o céu, ergui a face mas os olhos... os olhos não obedeciam"
O Encontro
Em uma caminhada, uma mulher consegue prever com antecedência tudo o que vai acontecer.
"Nunca criatura alguma me pareceu tão desesperada, tão tranquilamente desesperada, se é que cabe tranquilidade no desespero"
As Cerejas
Uma menina vive no sítio com as tias e recebe visitas inesperados de parentes da cidade.
"Marcelo, Marcelo! chamei. E só meu coração ouviu." 

Meu projeto Lygia Fagundes Telles

Desde 2010, venho lendo a bibliografia da autora, seguindo a edição da Companhia das Letras. Atualmente, minha meta é ler um livro a cada semestre. 

Ciranda de Pedra -1954
Verão no Aquário - 1963

Antes do Baile Verde - 1970

As Meninas - 1973

Seminário dos Ratos - 1977

A Disciplina do Amor - 1980
As Horas Nuas - 1989

A Estrutura da Bolha de Sabão - 1991
A Noite Escura e Mais Eu - 1995
Invenção e Memória - 2000
Durante Aqueles Estranho Chá - 2002
Histórias de Mistério - 2010
Passaporte Para a China - 2011
O Segredo e Outras Histórias de Descoberta - 2012
Um Coração Ardente - 2012

Leia mais sobre Lygia Fagundes Telles aqui no Shereland:
No aniversário de Lygia Fagundes Telles, veja vídeo em que ela analisa a própria obra 
Dois contos sobre Carnaval 

Livros relacionados

Um Coração Ardente
Passaporte Para a China

Posts relacionados

Capitu traiu Bentinho? Lygia Fagundes Telles e Clarice Lispector opinam
A gente lê: Durante Aquele Estranho Chá + conselhos dos escritores à Lygia Fagundes Telles

Siga o Shereland

Comentários

Deixe um comentário

http://

Nenhum comentário. Seja o primeiro!